OSP promove ações na web durante quarentena da Covid-19

OSP promove ações na web durante quarentena da Covid-19

A Orquestra Sinfônica de Piracicaba (OSP) abre esta semana a programação do "#OSPemCasa", série que relembra o seu acervo artístico e concebida para manter o contato com o público no período de distanciamento social, em decorrência do novo coronavírus (Covid-19). Em diferentes dias, por meio das redes sociais no Instagram e Facebook, estão programadas lives, postagens de concertos, entrevistas e apresentações solos dos instrumentistas.

"Enquanto permanece a recomendação para que todos fiquem em casa, é a alternativa que a OSP encontrou para levar a arte ao seu público e, ao mesmo tempo, relembrar apresentações memoráveis feitas a partir de 2015, quando iniciamos o processo de reestruturação do conjunto", diz o maestro Jamil Maluf, diretor artístico e regente titular.

Todas às terças-feiras, às 19h, estão programadas lives no Instagram oficial da OSP (@sinfonicapiracicaba). A primeira transmissão ao vivo será neste feriado de Tiradentes (21 de abril), em uma conversa entre o maestro Jamil Maluf e o diretor artístico associado e chefe do naipe de violoncelos da OSP, André Micheletti. O tema a ser discutido é "O futuro da música pós-pandemia".

Nas semanas seguintes, as lives às terças-feiras serão conduzidas alternadamente por Jamil Maluf e André Micheletti, sempre convidando algum nome da música clássica nacional ou internacional. Entre as confirmações estão o violinista piracicabano Rosnei Tuon, da Orchestre de la Suisse Romande, e o maestro alemão Knut Andreas, regente titular da Orquestra Sinfônica de Potsdam e da Orquestra Sinfônica Jovem de Berlim.

Às quartas-feiras, também às 19h, o público pode acompanhar, no Instagram e Facebook, uma série de entrevistas com os músicos da Sinfônica de Piracicaba, conduzidas pela assessoria de comunicação da OSP. A primeira delas será com o piracicabano Bruno Belluco, de 24 anos, que desde 2015 integra o naipe de violoncelos.

Já às quintas-feiras, no mesmo horário, o público terá acesso a uma série de performances solos dos instrumentistas, feitas diretamente de suas casas. A escolha das canções será dos próprios músicos, a partir de suas afinidades musicais. Quem abre a agenda é o próprio Belluco, que interpreta "Imagine", dos Beatles.

Nas semanas seguintes, estão programadas entrevistas (às quartas-feiras) e apresentações (às quintas-feiras) com os instrumentistas Luis Fernando Fischer Dutra (violino), Evandro Felix (trompa), Daniel Lima (percussão), Wesley Moraes (picolo), André Micheletti (violoncelo), Denis Usov (violino), Reinaldo dos Anjos (clarinetes), Catarina Schmitt Rossi (viola), Allan Texeira (contrabaixo) e Michel Machado (trompete).

As noites de domingos serão reservadas aos concertos de maior repercussão da OSP nos últimos cinco anos. Para abrir as postagens, às 19h do dia 26 de abril, o público confere à "Sinfonia nº 2", de Borodin, exibida no programa Clássicos, da TV Cultura, em 2016. Do mesmo programa, com postagem em 3 de maio, haverá o "Concerto para Violino e Orquestra nº 3", de Saint-Saëns, com solo do piracicabano Rosnei Tuon.

Ainda sobre os concertos, destaque para a apresentação que a OSP fez na Sala São Paulo, onde foram apresentas "Cinco Canções Místicas", de Ralph Vaughan Williams, com solo de Leonardo Neiva, e "Sinfonia em Sol Menor", de Alberto Nepomuceno. Solistas como a soprano Eliane Coelho e o violeiro Ivan Vilela também foram incluídos, além das ocasiões em que a OSP recebeu regência dos maestros convidados Gabriel Rhein-Schirato e Érica Hindrikson.

TEMPORADA 2020 – A pandemia causou uma série de cancelamentos e suspensões de shows, festivais, peças e exposições ao redor do mundo. Com a OSP não foi diferente e ocorreu a suspensão do concerto de estreia da Temporada 2020, previsto para 28 de março. "Era um momento de muita expectativa, com a inauguração do fosso operístico do Teatro Municipal Dr. Losso Netto e a participação da Cedan (Companhia Estável de Dança)”, lembra o maestro Jamil Maluf.

Também está comprometida a agenda de abril, cujo concerto ocorreria no dia 25. "Estamos apreensivos, pois os músicos, todos profissionais, dependem das apresentações presenciais para se manterem financeiramente", lembra André Micheletti. Ele completa: "o nosso interesse é em retomar o mais breve a programação. Porém, nos preocupamos com a saúde dos instrumentistas, da equipe e do público. Dependemos que decisões nas esferas estadual e municipal sejam estabelecidas".

Diante da suspensão das atividades, a OSP enviou uma nota aos 60 instrumentistas, informando que a direção da Orquestra mantém contato permanente com a SemacTur (Secretaria Municipal da Ação Cultural e Turismo), a direção do Teatro Municipal Dr. Losso Netto e as empresas que patrocinam e apoiam a temporada, por meio Lei de Incentivo à Cultura, do Governo Federal. "Há uma perda cultural significativa, de impacto imensurável, especialmente porque este ano celebramos os 120 anos da OSP", reforça Jamil Maluf.

A OSP é mantida com recursos da Prefeitura do Município de Piracicaba, por meio das secretarias da Ação Cultural e Turismo (SemacTur) e de Educação. Via Lei Nacional da Cultura, são patrocinadoras prata a Caterpillar e a Hyundai; o patrocínio bronze é da ArcelorMittal, Comgás e Oji Papéis Especiais; o apoio da Candura, Grupo Pirasa, Grupo Pizzinatto e Santa Massa. As instituições e empresas parceiras são Cultura Artística, Empem, OYO Hotéis, Monte Sul, Pira 21, Jornal de Piracicaba, Revista Arraso e Rádio Educativa FM.