Sinfônica de Piracicaba faz concerto ao ar livre na Esalq

Sinfônica de Piracicaba faz concerto ao ar livre na Esalq
A música erudita embala o início de 2016 na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (USP/Esalq), com o concerto da Orquestra Sinfônica de Piracicaba no gramado em frente ao Edifício Central. A apresentação acontece às 18h do dia 22 de janeiro, numa tenda com capacidade para aproximadamente duas mil pessoas. A realização é da Esalq, Semac (Secretaria Municipal da Ação Cultural) e Ministério da Cultura, com patrocínio da Raízen, Hyundai e Caterpillar, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. A entrada é gratuita.
 
“Teremos um programa popular, pensado para aproximar o público do universo da música erudita e demonstrar que uma orquestra pode incluir em seu repertório obras de diferentes gêneros. Será um concerto em que o público poderá sentir a nostalgia da cidade do século 19 e, ao mesmo tempo, cantar junto da Sinfônica, e até levantar das cadeiras para dançar”, contextualiza o maestro Jamil Maluf, diretor artístico e regente titular da Sinfônica de Piracicaba.
 
Para Jamil Maluf, a apresentação da Sinfônica na abertura do ano acadêmico da Esalq “é uma forma de reconhecer os esforços que vários nomes ligados à instituição tiveram pela manutenção da música erudita em Piracicaba”. A história da OSP – de 115 anos – é marcada por grandes êxitos, com a dedicação de professores da Esalq, como Alcides Guidetti Zagatto e Jaime Rocha de Almeida. “Estamos na expectativa de que será uma grande apresentação, como aconteceu no encerramento da Temporada 2015, no palco externo do Teatro Erotídes de Campos.”
 
Na avaliação do diretor da Esalq, o professor Luiz Gustavo Nussio, trata-se de um privilégio receber o concerto da OSP. “O brilho e o magnetismo do maestro Jamil Maluf, conduzindo a seleta composição de músicos, nos brindará com repertório exclusivo em um típico final de tarde de verão”, diz Nussio, que destaca ainda a função do momento musical: “queremos aproximar a Esalq e a comunidade, na mesma semana em que devolvemos à sociedade nossa principal contribuição com a solenidade de formatura da classe de 2015. Música de qualidade e cultura para nossa cidade. Com isso, a Esalq e as empresas patrocinadoras pretendem mostrar seu carinho por Piracicaba e região."
 
PROGRAMA – O Coro Infanto-Juvenil do Projeto Guri – Polo Piracicaba faz os 30 primeiros minutos do programa, com as canções Vilarejo, de Marisa Monte; Aonde quer que eu Vá, de Herbert Viana; Don't Stop Believin', de Journey; e os medleys com obras de Adoniran Barbosa e do musical Grease, adaptados por Vanessa Zambão e Vinícius Polezer. Composto por 60 integrantes, entre 9 e 17 anos, o Coro Infanto-Juvenil alia o trabalho cênico ao do canto, como forma de desenvolver a expressão corporal, a sensibilidade e a criatividade artística, associadas às técnicas vocais. A regência é da maestrina Vanessa Zambão.
 
Na sequência, a Sinfônica de Piracicaba apresenta abertura de O Morcego, terceira opereta de Johann Strauss, a que mais garantiu fama e reconhecimento internacional ao compositor austríaco. De caráter cômico, a obra teve sua estreia em Viena, em 1874, e a trama se passa em um baile de réveillon com casos de mal-entendidos, revides, prisão. Foi apresentada mais de 50 vezes no teatro em Viena, mas só teve seu reconhecimento na Áustria depois do sucesso em Paris e Berlim.
 
Como forma de enaltecer a atuação de duas figuras de destaque na música erudita piracicabana, Jamil Maluf incluiu o chorinho-maxixe Aí Cavaquinho, a valsa-serenata Ave Maria, nacionalmente conhecida, e a valsa Separação. Elas são de autoria de Erotides de Campos, compositor e instrumentista natural de Cabreúva que viveu em Piracicaba e que compôs vários choros, sambas, valsas e marchinhas. O Teatro do Engenho Central, inaugurado em março de 2012, leva o nome de Erotides, em sua homenagem. 
 
O programa traz ainda duas obras descontraídas e muito conhecidas do público, que prometem emocionar. Trata-se do choro Carinhoso, uma das músicas mais importantes da música popular brasileira, composta por Pixinguinha entre 1916 e 1917, e Tico-tico no Fubá, choro de Zequinha de Abreu imortalizado na voz de Carmen Miranda. As orquestrações foram feitas por Egildo Rizzi, maestro que atuou como regente titular da Sinfônica de Piracicaba de 1996 a 2012, ano de sua morte.
 
TRAJETÓRIA – A Orquestra Sinfônica de Piracicaba tem 115 anos de trajetória em prol da difusão da música erudita, completados em 24 de março de 2015. É reconhecida por leis municipal e estadual como entidade de utilidade pública. Sua primeira apresentação ocorreu em 24 de março de 1900, na Catedral de Santo Antônio, então chamada de igreja matriz, sob regência de Lázaro Lozano. 
 
Em sua fase mais recente, a Sinfônica passou por um processo total de reestruturação. O maestro Jamil Maluf torna-se diretor artístico e regente titular em julho de 2014, tendo o músico André Micheletti, também de Piracicaba, como regente assistente e diretor artístico associado.
 
Maluf possui quatro prêmios de Melhor Regente de Orquestra pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) e atuou como diretor pedagógico do Festival de Inverno de Campos do Jordão. Ele esteve por 34 anos no Theatro Municipal de São Paulo, do qual foi diretor artístico e regente titular das Orquestras Sinfônica Jovem Municipal e da Orquestra Experimental de Repertório, por ele criada em 1990. Micheletti é diretor artístico e coordenador pedagógico do Feimep (Festival Internacional de Música Erudita de Piracicaba), está à frente da coordenação pedagógica do Instituto Fukuda e é professor de música na USP de Ribeirão Preto.
 
A Temporada 2015, de abril a dezembro, teve todos as apresentações com a capacidade máxima de público no Teatro Municipal Erotídes de Campos. Solistas reconhecidos no Brasil e no exterior participaram dos concertos, vistos por aproximadamente 6.200 pessoas. “Minha vontade é que Piracicaba torça tanto pela sua orquestra, quanto torce para o seu time, o XV de Novembro”, afirmou Jamil Maluf no concerto de encerramento da temporada, em dezembro, que reuniu 1.500 pessoas no palco externo do Teatro do Engenho.
 
As atividades didáticas também fazem parte do novo projetos da OSP, que formou quartetos de cordas e sopros da Sinfônica para percorrer oito bairros na apresentação do projeto Música nas Escolas, que apresentou o universo da música erudita a 560 estudantes. A intenção para 2016 é ampliar as ações, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação. Neste caso, o Teatro Municipal Erotídes de Campos receberá o ABC do Dó Ré Mi, com 28 concertos de curta duração e palestras para 12 mil alunos das escolas públicas.
 
Os concertos da Sinfônica tem como apoiadores culturais a Empem (Escola de Música de Piracicaba Maestro Ernst Mahle), Jornal de Piracicaba, Revista Arraso e Rádio Educativa FM. Sobre a Temporada 2015, Jamil Maluf diz que todas as nove apresentações foram marcadas por forte emoção do público, que lotou todos os concertos. Para ele, esta é “a maior prova de que Piracicaba ansiava por uma orquestra com programação constante e de qualidade”.
 
SERVIÇO – Concerto ao ar livre da Orquestra Sinfônica de Piracicaba. Dia 22 de janeiro, às 18h, no gramado em frente ao Edifício Central da Esalq/USP (avenida Pádua Dias, 11, Agronomia). Entrada gratuita. Informações: www.fb.com/sinfonicapiracicaba.
 
ASSESSORIA DE IMPRENSA DA OSP
Rodrigo Alves – (19) 99147-5733