Projeto ABC do Dó Ré Mi leva música erudita a 5.200 estudantes de Piracicaba

Projeto ABC do Dó Ré Mi leva música erudita a 5.200 estudantes de Piracicaba
Como forma de desvendar o mundo da música erudita para as crianças, a Orquestra Sinfônica de Piracicaba desenvolve o projeto ABC do Dó Ré Mi, pioneiro na cidade, realizado com a Secretaria Municipal de Educação e apoio da Secretaria Municipal da Ação Cultural. A estreia das atividades acontece na sexta-feira, 11, no Teatro Municipal Erotídes de Campos, no Engenho Central, às 9h e às 10h. As 16 apresentações, até novembro, contemplam 5.200 estudantes da rede municipal de ensino.
 
O ABC do Dó Ré Mi proporciona às crianças o contato com a música de concerto. A concepção é do maestro Jamil Maluf, diretor artístico e regente titular da OSP, que levou a proposta à secretária de Educação, Angela Jorge Corrêa. O formato foi definido a partir de reuniões com as coordenações de educação infantil e ensino fundamental, e teve a aprovação do prefeito Gabriel Ferrato. “O projeto tem fundamental importância para a inserção da Orquestra na comunidade em que atua. Com esse gesto, a OSP demonstra preocupação com o desenvolvimento cultural dos alunos da rede municipal”, diz Jamil Maluf.
 
A parceria entre a OSP e a Secretaria Municipal de Educação é fruto de convênio celebrado após a aprovação, pela Câmara de Vereadores, do projeto de lei 316/2015, e da promulgação da lei 8.365/2015, pelo prefeito Gabriel Ferrato. Segundo a secretária de Educação, Angela Jorge Corrêa, está é uma das alternativas para introduzir as crianças na musica. “É uma grande oportunidade de muitas delas saírem de suas rotinas, visitarem um teatro e terem acesso a um concerto. Assim, elas percebem que a música erudita pode ser educativa”, diz.
 
A primeira sessão do ABC do Dó Ré Mi, às 9h, recebe 377 estudantes da Escola Antônia Jesuína Camillo Pipa, do bairro Santa Rosa, e da Escola Professor Taufic Dumit, do Parque Nossa Senhora das Graças. A apresentação das 10h tem a participação de 381 alunos da Escola João de Mello Ferracciu, do Parque das Indústrias, Escola Luís Claudio Alves, do Jardim Primavera, e Escola José Antonio de Souza, do Parque Orlanda 2. 
 
Além da execução de obras consagradas, os músicos fazem uma aula introdutória sobre todas as famílias dos instrumentos, suas funções, elementos e características. Instrumentos de brinquedos são incorporados à cena, tornando ainda mais divertida a intervenção. “Não é um show com músicas infantis, mas uma apresentação com conteúdo de grandes salas de concerto. A intenção é familiarizar as crianças aos diferentes aspectos dos instrumentos”, destaca Jamil Maluf.
 
O espetáculo começa com a peça Suíte dos Comediantes, escrita em 1940 pelo compositor russo Dmitry Kabalevsky. Trata-se de uma obra leve e descontraída, de fácil entendimento, mesmo para ouvidos estranhos à música erudita. “A intensa alegria e extroversão da suíte encantam as crianças pelo seu vigor rítmico e atmosfera alegre”, contextualiza o maestro. O programa tem duração de 50 minutos e prevê outras obras para formações menores de cordas, sopros e percussão.
 
O roteiro costura música e teatro, por meio de diálogo cômico entre o maestro e o ator Romualdo Sarcedo, que há mais de 20 anos atua com crianças. Juntos, eles guiam a plateia pelo maravilhoso mundo dos sons, sempre ilustrado pela música executada pelos instrumentistas. Ao servir de ponte entre o público e a orquestra, o ator faz questionamentos sobre o papel do maestro, os gestos da regência e a sonoridade acústica.
 
O elenco é composto por 18 instrumentistas, profissionais e estagiários, divididos em sete cordas, quatro mateiras, quatro metais, um tímpano, uma percussão e um piano. Segundo Jamil Maluf, além do aspecto didático, o projeto descentraliza a vida musical de qualidade dos grandes centros para o interior.
 
Para o ano de 2016, a OSP realiza ainda o projeto Músicas nas Escolas. Neste caso, dois quartetos de cordas e sopros fazem 21 apresentações nas escolas, a 1.470 crianças. O projeto teve início no ano passado, em setembro e outubro, quando contemplou 560 alunos de oito unidades. “É de criança que se criam hábitos importantes, como o consumo do produto cultural, no nosso caso, a música sinfônica”, diz Maluf. De 1980 a 2013, ele promoveu espetáculos didáticos no Theatro Municipal de São Paulo, onde apresentou também João e Maria, de Engelbert Humperdinck, a primeira e única ópera infantil da história daquela casa de espetáculos.
 
ESTREIA – A Sinfônica de Piracicaba faz a estreia da Temporada 2016 no sábado, 12, sob regência do maestro Jamil Maluf. O programa conta com a abertura da ópera Fidelio, de Beethoven, e a Sinfonia nº5, de Tchaikovsky. As apresentações acontecem no Teatro Erotídes de Campos, às 16h30 (palestra O Meu Concerto de Hoje, seguida do ensaio aberto ao público) e às 20h30 (concerto noturno). A entrada é gratuita, com 50% dos ingressos distribuídos a partir das 14h de sexta-feira, 11, e o restante uma hora antes dos concertos.
 
O Teatro Municipal Erotídes de Campos fica na avenida Maurice Allain, 454, Parque do Engenho Central. Os concertos de estreia da temporada são promovidos com recursos do Ministério da Cultura e da Prefeitura do Município de Piracicaba, por meio da Secretaria Municipal da Ação Cultural. São apoiadores a Rádio Educativa FM, Jornal de Piracicaba, Revista Arraso e o Maison Vivenda Buffet. O patrocínio é da Raízen, Hyundai e Caterpillar Brasil, via Lei de Incentivo à Cultura.
 
Rodrigo Alves
Orquestra Sinfônica de Piracicaba
Assessoria de Comunicação
(19) 99147-5733