Ernst Mahle rege a Orquestra Sinfônica de Piracicaba

Ernst Mahle rege a Orquestra Sinfônica de Piracicaba
A primeira audição mundial de uma obra e convidados especiais integram o próximo concerto da Orquestra Sinfônica de Piracicaba (OSP), com a participação do maestro Ernst Mahle na regência. Os cantores Raíssa do Amaral (soprano) e Alessandro Greccho (tenor) integram o programa, que traz ainda Pedro Visockas na viola. As apresentações gratuitas fazem parte da 33ª Festa das Nações e acontecem no sábado, 14, no Teatro Municipal Erotídes de Campos, no Engenho Central: às 16h30 (palestra seguida do ensaio geral aberto) e às 20h30 (concerto noturno).
 
Segundo o diretor artístico e regente titular da OSP, maestro Jamil Maluf, é preciso reconhecer o trabalho didático-pedagógico de Mahle no país, respeitar sua importância na formação de músicos e também o conjunto de sua produção como compositor. “Se Piracicaba se destaca na música é em virtude do trabalho incansável de algumas pessoas, dentre as quais o maestro Mahle e a sua esposa Cidinha. É graças à abertura de caminhos de visionários como eles que hoje temos um público interessado pela música de qualidade na cidade”, diz Maluf.
 
A escolha dos solistas para acompanhar o concerto esteve aos cuidados do próprio Mahle: Raíssa Amaral é mestranda em música pela Unicamp, faz parte da Academia de Ópera do Theatro São Pedro, em São Paulo, e do Coro Contemporâneo de Campinas. Visockas é violista da Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo e professor do Instituto Baccarelli, também na capital. Já Alessandro Greccho, que estuda com o barítono Caio Ferraz, faz o duplo doutorado em filosofia na PUC/SP e na Université Paris VIII, além de dedicar-se ao estudo da interpretação da canção brasileira com Maria José Carrasqueira.
 
A primeira peça do programa, de autoria de Mahle, é a ária Pobre Ivo, que abre a ópera O Garatuja, inspirada na obra homônima de José Alencar e cuja estreia aconteceu em abril de 2006, no Teatro Municipal Dr. Losso Netto. A peça recebe o acompanhamento da soprano Raíssa Amaral no papel de Marta e do tenor Alessandro Greccho como intérprete de Ivo. Na sequência, o violista Pedro Visockas faz a estreia mundial do Concerto para Viola, escrito em 2015 por Mahle em homenagem à Visockas.
 
Raíssa Amaral retorna ao palco para interpretar “Ah! Non credea mirarti” e “Ah! Non giunge”, árias que integram a ópera La Sonnambula, de Bellini, e que são consideradas entre as mais sublimes e mais difíceis do universo operístico. Sinfonia Nordestina, peça escrita por Mahle em 1990, encerra o programa do concerto. A obra tem como base as melodias da coletânea Danças Dramáticas, de Mário de Andrade.
 
MAHLE – Aos 87 anos, sendo 71 de carreira, Mahle compôs obras para todos os instrumentos de orquestra, música de câmera, concertinhos e concertos, além de peças para canto, coro, orquestras de câmera e sinfônica, balé e três óperas. Nos 50 anos à frente da Escola de Música de Piracicaba, dedicou-se ao ensino de aproximadamente cinco mil alunos. Ele também foi vice-presidente da Sociedade Brasileira de Música Contemporânea e é membro da Academia Brasileira de Música.
 
A troca para os ingressos teve início nesta quarta, 11, e segue até a sexta-feira, 13, das 15h às 18h, na bilheteria do Teatro do Engenho, cuja capacidade é de 422 lugares. Os ingressos antecipados têm validade até 15 minutos antes de cada concerto e as poltronas remanescentes serão liberadas no ato das apresentações, às 17h e às 20h30. A palestra O Meu Concerto de Hoje, às 16h30, será proferida por Marcelo Batuíra Losso Pedroso, diretor do Jornal de Piracicaba e da Revista Arraso.
 
A temporada da Sinfônica de Piracicaba é uma realização do Ministério da Cultura e da Secretaria Municipal da Ação Cultural, com patrocínio da Raízen e Caterpillar Brasil, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. São apoiadores a Rádio Educativa FM, Empem (Escola de Música de Piracicaba Maestro Ernst Mahle), Associação de Cultura Artística de Piracicaba, Maison Vivenda Buffet, Jornal de Piracicaba e Revista Arraso.
 
DIDÁTICO – As ações da OSP para este ano se desdobram para além dos concertos mensais, com uma proposta didático-pedagógica desenvolvida com recursos da Secretaria Municipal de Educação. Aproximadamente 9.000 estudantes serão contemplados, até novembro, com os projetos ABC do Dó Ré Mi e Música nas Escolas.
 
Nesta sexta-feira, 13, véspera do concerto com o maestro Mahle, 700 crianças de 17 escolas acompanham o espetáculo ABC do Dó Ré Mi no Teatro do Engenho. O “showcerto” é marcado por intervenções lúdicas entre o ator Romualdo Sarcedo e 18 instrumentistas da Sinfônica, que fazem uma aula introdutória sobre todas as famílias dos instrumentos, suas funções, elementos e características.
 
Entre os dias 18 e 20 de maio, o Música nas Escolas tem apresentações nas escolas São Vicente, no bairro Cidade Alta, Diva Araújo de Lemos, no Nhô Quim, e Mariza E. Faganello, do Jupiá. O projeto foi aberto no mês passado, no bairro Santa Fé, e já passou por unidades de ensino no Jardim Costa Rica e Ibitiruna. Neste caso, quartetos de cordas, madeiras e metais percorrem 21 escolas para aproximar os alunos da música erudita.
 
SERVIÇO – Orquestra Sinfônica de Piracicaba, no Teatro Municipal Erotídes de Campos (avenida Doutor Maurice Allain, Parque do Engenho Central). Sábado, 14, às 16h30 (palestra O Meu Concerto de Hoje), às 17h (ensaio geral aberto) e às 20h30 (concerto noturno). Informações: (19) 3413-5212 e www.fb.com/sinfonicapiracicaba.
 
Rodrigo Alves - (19) 99147-5733
Orquestra Sinfônica de Piracicaba
Assessoria de Comunicação