Sinfônica de Piracicaba recebe o pianista Cristian Budu

Sinfônica de Piracicaba recebe o pianista Cristian Budu

Rodrigo Alves
Da Assessoria de Comunicação da OSP

O piano assume novos contornos no concerto de novembro da Orquestra Sinfônica de Piracicaba, com a presença de Cristian Budu, paulista de 28 anos aclamado no cenário internacional e considerado um dos expoentes de sua geração. Sob a batuta de Jamil Maluf, diretor artístico e regente titular da OSP, ele interpreta Concerto em lá menor, de Grieg. As apresentações são gratuitas e acontecem no Teatro Municipal Erotídes de Campos, no Engenho Central, às 16h30 e às 20h30 de sábado, 19.

Natural de Diadema, Cristian vive em Boston, nos Estados Unidos. Em 2013, tornou-se o primeiro brasileiro a vencer o Concurso Internacional Clara Haskil, na Suíça, considerado pela crítica como a mais importante premiação a um brasileiro nos últimos 20 anos. A revista Gramophone, uma das mais influentes publicações clássicas do mundo, o definiu como "um pianista incrivelmente original, com uma maturidade e visão musical que poderiam inspirar inveja em colegas com dobro de sua idade". Seu primeiro disco comercial, lançado este ano, também foi elogiado pela revista europeia Diapason.

No Brasil, Budu apresentou-se recentemente com a Orquestra Sinfônica Brasileira, Osesp e Ojesp, Orquestra Filarmônica de Goiás, Orquestra Sinfônica do Paraná  e promoveu recitais em Buenos Aires e Montevideo. Em Minas, percorreu as cidades de Poços de Caldas, Passos e Varginha. “A presença do solista vem ao encontro do trabalho promovido pela OSP desde o início de sua reestruturação, o de descentralizar a vida musical de qualidade dos grandes centros para o interior, com a presença de nomes aclamados no circuito nacional”, contextualiza o maestro Jamil Maluf.

A peça que receberá o solo de Cristian Budu, Concerto em lá menor, será apresentada na segunda parte do programa da OSP. Ela foi composta em 1868, quando Grieg tinha apenas 25 anos, sendo elogiada, à época, pelo compositor e pianista Franz Liszt. “Trata-se de uma obra melódica, de grande beleza e lirismo, com o frescor da juventude de seu criador, e que exige bravura técnica do intérprete, o que justifica a escolha de Cristian Budu como solista”, lembra Jamil Maluf.

A primeira parte do programa trará a peça Série Brasileira, formada por quatro movimentos: Alvorada na Serra, Intermédio, A Sesta na Rede e Batuque. Composta de 1888 a 1892 pelo cearense Alberto Nepomuceno, a obra foi classificada como uma das precursoras do nacionalismo na música brasileira. Seus elementos sonoros rementem ao folclore nacional, à natureza, à pintura, e a ritmos como o maxixe e o batuque.

Segundo Jamil Maluf, a Série Brasileira é uma obra de valor histórico. “Nepomuceno ampliou sua formação musical na Itália, em Berlim e em Paris, mas retornou ao Brasil com ideais nacionalistas muito polêmicos na época. Ele foi o primeiro a defender inclusão de instrumentos típicos da música popular brasileira nas obras orquestrais. É o que acontece, por exemplo, em Batuque, última parte da Série Brasileira, com a presença do reco-reco, instrumento muito comum ao samba.”

Como forma de aproximar as plateias do universo musical, a OSP realiza a palestra O Meu Concerto de Hoje, às 16h30, antes do início do ensaio geral aberto. O responsável pelas explanações é o próprio maestro Jamil Maluf, que através de um bate-papo descontraído apresenta os principais elementos do programa e responde as dúvidas do público sobre a dinâmica de uma orquestra.

Os ingressos retirados antecipadamente na bilheteria do Teatro do Engenho entre as 15h e 18h de quarta, 16, e sexta-feira, 18, são válidos até 15 minutos antes de cada sessão. A cota remanescente, se houver, será distribuída a quem estiver no ato das sessões no Teatro do Engenho, onde será formada uma fila de espera.

Este é o penúltimo concerto da Temporada 2016 da OSP e tem como realizadores o Ministério da Cultura e a Secretaria Municipal da Ação Cultural. São patrocinadoras a Caterpillar Brasil e Raízen, via da Lei Federal de Incentivo à Cultura, a Lei Rouanet. Os apoiadores culturais são Bom Peixe, Jornal de Piracicaba, Revista Arraso, Empem (Escola de Música de Piracicaba Maestro Ernst Mahle), Rádio Educativa FM, Maison Vivenda Buffet e Cultura Artística.

SERVIÇO – Concerto da Orquestra Sinfônica de Piracicaba. Sábado, 19, às 16h30 (palestra O Meu Concerto de Hoje, seguida do ensaio geral aberto) e às 20h30 (concerto noturno), no Teatro Municipal Erotídes de Campos (avenida Doutor Maurice Allain, Parque do Engenho Central). Entrada gratuita. Informações sobre ingressos: (19) 3413-5212 e www.fb.com/sinfonicapiracicaba.